quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Direto de Portugal: As consequências da ideologia de neutralidade de género

As consequências da ideologia de neutralidade de género

by O. Braga

O que uma mulher com 1,54 metros de altura [5 Feet 1 Inch] pode fazer a um homem
A política de neutralidade de género, em vez de reduzir a violência doméstica conduz ao seu aumento. Isto é um facto. Em Espanha, por exemplo, onde tem sido conduzida pelo governo socialista de Zapatero uma política de neutralidade de género --- e não obstante a repressão massiva sobre o homem ---, a violência doméstica aumentou em vez de diminuir.
Porém, há um lado obscuro da política de neutralidade de género que não sai frequentemente nos me®dia : a violência da mulher em relação ao homem tem aumentado de uma forma geométrica.

Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A psicopatia e sociopatia das elites contemporâneas

A psicopatia e sociopatia das elites contemporâneas

by O. Braga
Baby-Box
Vivemos num mundo governado por loucos; por autênticos doidos varridos. Cada vez mais me convenço de que a elite política nacional e internacional é constituída por uma maioria de sociopatas e de psicopatas.
O Conselho Para os Direitos da Criança da ONU criticou oficialmente a república Checa por ter adoptado os chamados Baby-Box e recomendou a sua supressão — as Baby-Box são caixas climatizadas e confortáveis colocadas no exterior dos hospitais públicos daquele país, e que recolhem crianças cujas mães não as querem ou não as podem sustentar. A república Checa já instalou 42 Baby-Box no país e já recolheu, por este meio, 62 crianças desde 2005, que foram depois adoptadas por casais sem filhos.
O que o Conselho Para os Direitos da Criança da ONU não critica, de modo nenhum, é o aborto e a utilização destrutiva de embriões humanos em pesquisas científicas que não deram em nada. Porém, as Baby-Box, que salvam vidas humanas, são alvo da crítica dos psicopatas da ONU.

Anna Smajdor
Um outro caso de psicopatia aguda da elite é o da “eticista” britânica Anna Smajdor, que defende a ideia segundo a qual «a mulher deve ser libertada da gravidez por via da “ectogénese”», ou seja, da procriação através de úteros artificiais — porque a sociopata Anna Smajdor parte do princípio segundo o qual a gravidez na mulher retira o estatuto de igualdade em relação ao homem, considerando a gravidez um “problema médico” comparável a uma “doença como o sarampo”, e defendendo o fim da reprodução humana natural.
Ou seja, a "eticista" Anna Smajdor considera que a igualdade entre um homem e uma mulher se traduz no facto de ambos não terem gravidezes e não terem filhos. Chama-se a isto “igualdade negativa”, que significa que a mulher só terá igualdade quando for biologicamente igual ao homem.
A actual sociopatia e psicopatia das elites é nutrida pelas universidades. Se queremos alterar o curso dos acontecimentos que nos conduzem a uma espécie de “1984” de Orwell, temos que fazer, em primeiro lugar, uma “limpeza” nas universidades.



Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com

Direto de Portugal: A esquerda radical funciona hoje em um esquema de Holding

A esquerda radical funciona hoje em um esquema de Holding

by O. Braga

A esquerda radical funciona hoje em um esquema empresarial de Holding, em que existe um centro de gravidade ocupado pela ideologia pura que aglutina e coordena esquematicamente a acção política do conjunto.
Hannah Arendt descreveu o velho totalitarismo, tanto o marxista-leninista como o nazi, com o exemplo de uma cebola que tem várias camadas envolventes, e em cujo centro se encontra o núcleo duro ideológico. Esta configuração das religiões políticas totalitárias alterou-se substancialmente com a queda do muro de Berlim.
Hoje, o esquema de Holding dos partidos radicais de esquerda permite que o núcleo duro ideológico — o centro de gravidade — tolere a adesão [à Holding política] de organizações e/ou indivíduos esquerdistas moderados que não defendem a violência como uma forma de intervenção política, e que estejam mesmo algo distanciados ideologicamente do núcleo duro da Holding. A Holding política radical permite “atacar” a sociedade em várias frentes, embora a acção política seja coordenada pelo centro de gravidade da Holding partidária.
Esta forma de actuar da nova esquerda radical é mais difícil de contrariar quando comparada com a da “cebola” de Hannah Arendt, porque o adversário político radical pulveriza-se em acções multifacetadas segundo o princípio da acção de várias empresas pertencentes a uma Holding.

O. Braga | Terça-feira, 24 Janeiro 2012 at 12:21 pm | Tags: Esquerda, marxismo, marxismo cultural, marxismo-leninismo, politicamente correcto | Categorias: Política | URL: http://wp.me/p2jQx-9ZH



Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com